‘É quase um milagre’, diz ambientalista sobre filhote de onça no Parque do Iguaçu
30/07/2018 15:59 em Diversas

Espécie está em situação crítica na Mata Atlântica, com menos de 300 indivíduos

O nascimento de um filhote de onça-pintada está sendo comemorado por ambientalistas do Projeto Onças do Iguaçu, que estuda e monitora a espécie no Parque Nacional do Iguaçu, o maior remanescente de Mata Atlântica no interior sul do país. Apesar de o felino ser classificado como “quase ameaçado” pela União Internacional para a Conservação, ele está em situação crítica neste bioma. Segundo estimativas, restam menos de 300 exemplares na Mata Atlântica, espalhados por Brasil, Argentina e Paraguai.

O programa de conservação de onças-pintadas no Parque Nacional do Iguaçu foi iniciado na década de 1990, mas passou anos abandonado, sendo retomado apenas em 2009. Desde então, este é o quarto filhote flagrado pelas lentes dos ambientalistas. Dois deles morreram e o outro está com cerca de um ano e meio de idade, quase entrando na vida adulta.

— É quase um milagre. Cada indivíduo conta muito — destaca Yara Barros, coordenadora executiva do Projeto Onças do Iguaçu. — Não é possível dizer exatamente quantos filhotes nasceram, porque o parque tem 185 mil hectares, mas nós temos registros de apenas quatro.

De acordo com o último censo, realizado em 2016, existem apenas 22 onças-pintadas na parte brasileira do Parque Nacional do Iguaçu. Na porção argentina existem cerca de 70 indivíduos e, no Parque Estadual do Turvo, no Rio Grande do Sul, outros quatro. Apenas essas três regiões, que formam um corredor florestal no sul do continente, abrigam cerca de um terço de todas as onças-pintadas da Mata Atlântica.

Por isso, cada nascimento é comemorado. O novo filhote foi fotografado por funcionários do projeto no último sábado, mas pouco se sabe sobre ele. Os ambientalistas estimam que ele tenha cerca de dois meses e a mãe ainda não foi identificada. Novas armadilhas fotográficas foram instaladas na região do avistamento na tentativa de colher novas imagens.

Em comunicado, o Projeto Onças do Iguaçu destacou que nesta fase, os filhotes são “muito vulneráveis”. Por isso, pede que motoristas que trafegam dentro dos limites do Parque do Iguaçu redobrem a atenção e que visitantes não tentem se aproximar em caso de avistamento.

“O filhote pode se assustar e nesta fase a mãe é superprotetora na defesa da cria”, diz o comunicado, alertando para riscos de ataques. “Este filhotinho representa para nós a esperança de que as onças-pintadas tenham um futuro”.

Fonte-  O Globo

 

COMENTÁRIOS
Comentário enviado com sucesso!